quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Ancestrais



Ah sim, lembro alguma coisa
do povo de outrora,
que ouvia pássaros e árvores,
que dançava com  a terra
passos de fogo e de gelo,
e que lia o futuro
nas ranhuras das nuvens,
nas linhas das mãos,
e no bailado da chuva...

Sim, lembro alguma coisa
sobre os versos do vento
na face oblíqua das pedras,
e no sal à beira da praia.
Lembro alguma coisa dos segredos
contados à mim pela chuva,
lembro de uma vida pura
e de uma comunhão segura
que nem de longe sonhava
ser arrasada pela vida futura... 

As Bençãos do Silêncio



À noite o tempo
caça o silêncio

Grilos contam segredos
aos ouvidos da mata

(longe, longe se ouve
o burburinho de
uma cascata...)

E o poeta tece rabiscos,
que são ideias-crisálidas,
de belas e futuras
palavras com asas...

Noturno Sonolento...



Um poeta pescava
estrelas

Uma barca de nuvens
levava a noite

Um silêncio divino
recortava o horizonte...

E versos caíam sobre 
um lago sereno,
onde se espelhava
uma lua insone...

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A Subida do Poeta



In Memoriam

Partiu o Manoel
que falava com sapos e sabiás
e dançava com riachos
e vivia numa meninice 
que durou até o fim

Acho que seguiu a trilha
de um córrego que levava
ao infinito, e muito curioso,
o danado subiu...

Já tô louco de saudade Manoel!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Canção Para o Longe...



Hoje a nave Rosetta pousou na superfície do cometa 67P,
e o mundo maravilhou-se com o gênio humano mais uma vez...
Bem no dia do teu aniversário! E gosto de pensar que deves ter
visto isso bem de perto, que aconteceu bem ao teu ladinho e que
também pensaste em mim, e em nós dois essa vontade 
de conversar sobre as coisas do infinito aconteceu como
o fazíamos no passado, em longos passeios pelos parques,
ou em cafés e bares sonhando com as alturas... 
Mas eu estou na vida como quem vive numa caixa, e tu
estás nas terras estranhas da morte como uma pluma ao vento.
Pai, quando a distância vem assim me rasgar o peito, eu logo
me lembro que estás ali dentro e suspiro aliviado... Um dia,
enfim, morrerás comigo (outra vez) e como velhos amigos
andaremos pelo infinito falando sobre as coisas de Deus!
Feliz Aniversário!

Sobre Caminhos...

Tem caminhos que se acha, tem também caminhos que nos acham... Mas eu acho que tem  caminhos que se acha dentro, depois de muitas j...