terça-feira, 21 de junho de 2011

Sina



Sou dos vadios e dos hereges,
dos videntes cartomantes
e dos amantes proscritos...


Eu sou do outro lado!...
Para onde, normalmente,
não se olha enquanto
a vida ordinária segue.


Das lutas na morada da alma,
das súplicas mudas
e das guerras invisíveis
vem minhas vitórias...


Todos aqueles que se cegaram
com a luz, jamais entenderão
o frescor das minhas sombras
nem o calor das minhas batalhas...

Luares





Outras luas
como esta, com certeza,
inspirarão loucuras e poemas.


Mas somente esta,
apenas esta,
abriu-se-me a janela
onde eu vi
a tua face!...

*Ahana



A linha dourada do horizonte
define quem sou de leste a oeste
e de oeste a leste toda essa altura
e toda essa largura sou eu!


O sol que desponta vivifica-me
e me mata todos os dias e respiro
com o vento e com a chuva, e o ocre
odor da terra é meu perfume de vida...


E quem não tiver essa obsessão íntima,
profunda e voraz pela terra, jamais
entenderá meu canto e minha súplica.


Na lua imaginária - e não na lua
profanada - guardei o saber dos meus
arcanos, queimados pela aurora...


*Palavra sânscrita que significa "amanhecer", 
mas que também alude ao despertar espiritual.


Oráculo


Desde cedo
eu ouço o segredo
das coisas


Os símbolos falam comigo,
as pessoas me pedem conselhos
e em segredo, nos meus sonhos,
eu danço com a lua...


Eu sou um descendente
dos velhos oráculos,
das conchas do mar,
das grutas, dos diários
e dos corações maternos


Eu sou a flauta oca
onde o infinito
toca - desde sempre -
a sua canção!


Poção



Traz um pouco
de espuma
de água da chuva,
uma lágrima
de alegria,
um suspiro de saudade,
e um raio de prata
da lua


Mistura tudo
com chá de artemísia,
toma três goles
e o resto despeja
na terra que
o teu amor há de pisar


Depois te entrega
num beijo e diz a ele
que o teu amor e o
da Deusa
são um só!...


Ode à Poseidon



Meu olhar bebe tua salina beatitude azul brilhante
onde os pássaros avançam para um beijo matinal.
Tu cujo corpo gigantesco de água viva,
presente e invisível simultaneamente,
ondula a orla da praia e para o qual as anêmonas embevecidas
fazem sua dança, e os corais pintam
de arco-íris o fundo do mar...

Em teu corpo divino e oceânico
de sonho e monstruosidade,
de esperança e terror, deslizam os pescadores
desde o início dos tempos e tu os alimenta
com cardumes de teu sangue
e os pune terrivelmente com teus tremores,
maremotos e ventos,
pois esse é o preço dos teus favores.

Tu que engoliste os tesouros coloniais
temperados com o sangue dos filhos puros das Américas,
e se por um lado fizeste justiça,
por outro te divertiu o naufrágio do sonho humano
de conquista, poder e grandeza
e as carcaças dos navios naufragados são
os resíduos sórdidos do teu humor.

Tu que deste à Terra os filhos da terra
como uma benção e uma maldição,
esses que agora olham para ti com o semblante
perdido, rememorando o que a sua lógica
convenientemente chamou de mitos,
mas que são os teus vestígios, inimagináveis,
para quem te vê disfarçando tua grandeza
num véu de espuma branca à beira mar...


sábado, 18 de junho de 2011

Joia

À Giuliano Boff

A tua amizade
era a pérola revelada
na concha oca
dos dias...
 

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Herança



Deus te proteja
meu filho
do tempo sem tempo
que a vida enfim
ficou


Deus te proteja
da falta de verde
e de um sol mais amigo


Deus te proteja
da noite sem grilos e do
amor sem carinho


Deus te proteja
meu filho
de mim!...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Saga



















A música longínqua da noite
fez balançar as pétalas do corpo,
as franjas do sono
que pairavam sobre as pestanas...


Dormiam já os justos no regaço
do seu justo descanso
e os poetas teciam pensamentos e versos
e estrelas imaginárias na orla do tempo...


Vieram etéreas sereias, cavalos alados,
unicórnios, corujas e um coro de silêncios...
Uns seguiram dormindo, outros sonhando
uns vivendo, outros fugindo
e na saga da noite a vida
escreveu mais um capítulo...

Encontro Sobrenatural

A rua estreita iluminada com luares que enfeitavam de outros ares a viela urbana, que assim preenchida de um silêncio antigo, guard...