segunda-feira, 22 de maio de 2017

Feitiço da Noite...


Dorme a estrela por sobre
o seu cobertor de casas acesas, 
como um espelho do céu...

Olha a lua o infinito,
guiando infinitamente
todos os sonhos do mundo...

As hordas da aurora
repousam longe, longe...
E os salões da madrugada
deixam a linha do horizonte
indistinta e, indistintamente, 
enegrecida as fronteiras
das lendas e da vida são
subitamente interrompidas!

Vês? O sonho agora habita 
os montes, as praças,
a luz das lâmpadas e das 
lamparinas... 

Vês? A vida toda está vestida
de cânticos e rimas, folheada
à encantamentos e poesia...

Eu junto com estes versos
a estrada de milênios
desta noite...

Meu pensamento segue
aspirando às alturas
como a fumaça do incenso...

Ouve.. Nos arabescos do vento
sonham comigo as cantorias
dos grilos e dos outros poetas...

terça-feira, 25 de abril de 2017

Estio Poético...



Tenho um rio
de versos
que secou com os dias...
Não sei onde foram
as asas que me
elevavam...
Meu rio de sonhos
agora é uma cova
vazia,
onde nem mesmo jaz
a minha poesia...

Saraus do Silêncio



O silêncio da noite tem um zunido estridente, 
que ecoa no vazio das coisas vazias da gente...

Vez por outra, e só por misericórdia,
um grilo quebra as vidraças da neblina
como quem sussurra: " ouve.. ouve... há vida!"

E antes que vire uma distração,
tudo silencia novamente...

Então a noite perpassa o horror da vigília
e me abraça, e no regaço da exaustão
tudo dorme pesadamente...

sexta-feira, 24 de março de 2017

A Textura das Palavras


A palavra-pedra
é aquela palavra não dita
e que jaz para sempre 
adormecida 
no âmago do coração...

A palavra-pétala
é aquela que veio
de algum lugar 
desconhecido,
e que gentilmente,
foi soprada do infinito
pra dentro da gente,
e vira verso, vira prosa,
vira orientação, sabedoria,
vira ternura, alforria,
carinho, amor, libertação!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Olhar Absoluto



Eu quero o grito tácito
que tem todo o sorriso,
a súplica por trás
de todo o olhar,
a ventania que mora
dentro da brisa mansa,
e o animal assustado
que vive dentro do herói...

Eu comungo com o dragão
que vive dentro de toda a
princesa adormecida,
e com o puro Amor
que todo monstro
carrega em si...
Eu busco a Luz que
dorme dentro da sombra,
e a relíquia futura
que vive dentro de
cada escombro...

Eu sou um caçador
das coisas ocultas,
que foram esquecidas
na comodidade das
convenções, ou na
intensidade da razão...

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Magna Obra...



O ofício do poeta é escavar a pedra dura
dos fatos e da rotina, é garimpar na areia dos dias
a poesia intrínseca que habita todas as coisas... 
Revelar a música que se oculta 
na água, na pedra, no vento, 
no vazio da esquina,
no parapeito da janela que, 
morosamente, contempla o infinito...
O ofício do poeta traz 
o antagonismo de quem
procura um mirante nas estrelas
mergulhando fundo em si mesmo...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Do Sonho Amoroso



Eu quero varrer de mim
as tristezas que teci, 
e que deixaram em mim,
para ouvir de ti
tuas histórias 
mil vezes contadas...
Quero deitar contigo
e ouvir teus segredos,
e o bater do peito,
e aspirar o teu cheiro,
e sonhar que tudo isso
será sempre só isso
por um tempo inimaginável...
Me leva contigo, vamos fugir,
abro mão dos meus mistérios,
rasgo o estandarte
das minhas buscas
para fugir e sonhar...
E apossados dos segredos
nossos, que sejamos
para sempre cativos
do silêncio amoroso
meu e teu... Vem,
vamos sonhar que será
eterno e sem fim, pois
só quando sonhamos
com o sempre é que
podemos de fato
viver e saber
o que é ser feliz...