quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Lonjuras da Memória...


À minha vó Maria... In Memoriam 

Havia sempre livros na mesa,
mas quando eu chegava ela estava
com a tevê sempre ligada, mas nunca
na frente dela, nunca à ela presa...

Conversava com a vizinha dos fundos,
olhava, às vezes, absorta o parreiral...

À noite mergulhava nos livros...
Foi com ela que aprendi a voar 
com o invisível!

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Interlúdio Vazio...


O suspiro do tempo nos olhos dos gatos
que miram o vazio com absoluta atenção,
e no olhos dos velhos que fitam o longe
e o firmamento....

Pra onde vão seus pensamentos?
E os nossos pensamentos para onde irão?

O suspiro do tempo naquela esquina 
onde o sol se inclina antes de encerrar
mais um dia... 

Ai que me dói esses
suspiros do tempo...!

Mas e o tempo? Suspirará mesmo
por quem?

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Encontro Sobrenatural



A rua estreita iluminada
com luares que enfeitavam
de outros ares a viela urbana,
que assim preenchida
de um silêncio antigo,
guardava um pouco 
da infância do tempo 
e do mundo, inaudível
e invisível aos sentidos
de quem havia viciado
em máquinas...

E como isso inclui
a maioria da humanidade,
ficamos eu e a ruazinha
a contemplar o infinito

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Destino


Vejo nas pessoas os arcanos
que aguardam decifração, 
elucidação, tradução e respectivo
entendimento de si para si mesmo...

E é justo essa a minha nobre e sóbria
missão, a de esclarecer o enigma
dentro do intrínseco silêncio
do qual nos alienamos, até
não ser mais possível qualquer
alienação... 

Eu sou o encontro dos caminhos,
o mensageiro que de dentro
da caixa de pandora
extrai a luz antes da escuridão.

O Jardim das Delicadezas


Eu vivo nessa pulsação 
com as coisas simples deste mundo

O cheiro do café passado
nas manhãs,
o canto dos sabiás
entre setembro e outubro,
o silêncio da noite,
os caminhos inexplorados
das ruas que eu cruzo,
a solidão das esquinas,
a chegada da chuva,
a sonata das trovoadas,
o perfume da terra...

E a honradez do espinheiro,
que floresce mesmo
que ninguém o ame...

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Ternuras



Eu me reinvento em abraços
para criar mais espaço
para mim mesmo

Mergulho em ternuras
amo os amigos, os gatos,
meus versos, meus erros
e mais ainda meus acertos

Eu me apresento na versão
melhor de mim mesmo
para encurtar distâncias,
essas que somem nos abraços...!

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

As Três Chaves


Se dormes em paz sobre
o amanhã incerto, então,
ainda que não saibas
dormes pela FÉ!

Se apesar de todos os riscos
agruras, e fracassos continuas,
é porque te guias a ESPERANÇA.

E se te inclinas a um desconhecido
para um gesto de auxílio, apoio
ou carinho, ainda que negues
és movido pelo AMOR.

Então, assim, neste mundo cínico
de ceticismo, cobiça e pretenso
desamor, os sentimentos lindos
que tu condenas ou rotulas 
de piegas, cômicos, ou inúteis
te orientam!

E é justo essa a possível
salvação deste mundo.

Lonjuras da Memória...

À minha vó Maria... In Memoriam  Havia sempre livros na mesa, mas quando eu chegava ela estava com a tevê sempre ligada, mas nunca ...