quarta-feira, 7 de maio de 2014

Soneto da Despedida Dadivosa



Adeus Amor, adeus, e leva contigo
os mares imensos dos sonhos meus,
que em teus braços já tiveram abrigo
como em meu coração já abriguei os teus!

Adeus sem culpa, remorsos, ou o rancor...
O amor é uma flor que se despe em véus
nasce uno, mas se esvaece como a cor,
perfume tênue se que eleva aos céus...

Adeus, e tomara que tenha sido eu
um degrau a mais na árdua lição do Amor,
que nos eleva a todos ao Amor de Deus,

e se expressa além do sofrimento e dor
no semblante do ser amado (meu e teu)
no ato misterioso de um novo Amor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Encontro Sobrenatural

A rua estreita iluminada com luares que enfeitavam de outros ares a viela urbana, que assim preenchida de um silêncio antigo, guard...