segunda-feira, 24 de setembro de 2018

O Jardim Perene...



Eu amava aquele recanto
do jardim, onde o canto das aves
era manso como
uma conversa de vizinhos

E a reflexão das estátuas
infinita,
com seu olhar cabisbaixo
a fitar o gramado...

E ali eu cruzava 
as sombras da tarde
pontilhada pelos ipês floridos

Esquecido da minha
humana finitude,
neste mundo de despedidas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Flores de Dentro

E a neblina grossa da tarde se rompeu em chuva, na cantoria das calhas, no silêncio das ruas, no vaso de violetas sem flores Tudo úmi...