terça-feira, 16 de abril de 2019

Barca



Tem um choro à minha porta,
um choro espesso tombado das nuvens.
Há um rosnar de clarões na tempestade
e um zunido que permeia tudo!

O choro espesso das nuvens lava
o pátio, de samambaias e alecrins,
esparrama odores de água molhando 
a terra, de mato mexido pelo vento..

A chuva é uma embarcação 
do tempo, cruzando os céus 
do infinito ao desconhecido,
enquanto vai pisoteando o silêncio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Flores de Dentro

E a neblina grossa da tarde se rompeu em chuva, na cantoria das calhas, no silêncio das ruas, no vaso de violetas sem flores Tudo úmi...